blog

Blog Origens do BPM

Origens do BPM – Conheça a trajetória até hoje

Versão para impressão
Compartilhe:

O BPM (em português “Gerenciamento de Processos de Negócios”) é um tema sempre em alta nas empresas. Mas…. como chegamos até aqui? Por que o BPM se tornou uma celebridade organizacional? Aliás, você sabe de onde vem o BPM? Para entendermos as origens do BPM (Business Process Management), precisamos fazer uma viagem de volta ao passado pelo túnel do tempo.

Um pouquinho de História…

Na Antiguidade, os artesãos tinham os seus próprios ofícios e negócios. Cada trabalhador era um generalista e dominava todo o processo da empresa, desde a abertura da loja até o atendimento ao cliente, passando pela produção e vendas. Estes donos de pequenos negócios faziam tudo do início ao fim e dominavam os diferentes produtos ou serviços. Você já tinha parado para pensar nisso?

Fonte: Adaptado de (DUMAS et al., 2013)

Com a chegada da Era Industrial, com o grande marco da Revolução Industrial, por volta de 1880, a gente começa a ver a divisão do trabalho. O famoso Frederick Taylor traz como tema central do seu estudo científico a produtividade das tarefas, reduções de custos e a especialização do trabalho.

Pela primeira vez, surge o papel do Gerente, como alguém responsável por supervisionar o trabalho de grupos de trabalhadores, fornecendo instruções de trabalho e exigindo resultados. Também começam a aparecer as estruturas hierárquicas e verticais que dominaram os cenários organizacionais até um século mais tarde. Somente a partir de 1980 que este modelo começou a ser desafiado e ter alternativas.

Neste momento, cada trabalhador começa a focar na sua especialidade e na sua área de trabalho. Desta forma, o trabalho foi sendo cada vez mais fragmentado. Ou seja, os pedacinhos dos processos começaram a ser divididos.

Primeira onda do BPM

Seguimos nessa trajetória de entendimento das origens do BPM e chegamos nas décadas de 60 e 70, um período que hoje chamamos de Primeira onda do BPM. Novos horizontes surgiram, como a Gestão da Qualidade Total.

Para se ter uma ideia, o termo Business Process Modeling (modelagem de processos) foi utilizado pela primeira vez em 1967 por S. Williams, em seu artigo “Business Process Modeling Improves Administrative Control”. Logo depois, nos anos 70, com objetivo de melhorar a qualidade de seus produtos, a Motorola desenvolve o Six Sigma (ou 6 Sigma).

Deming é um autor de destaque deste período e uma das frases que eu mais gosto dele é:

Segunda onda do BPM

Nas origens do BPM, a segunda onda acontece no final dos anos 80 e início dos anos 90, devido ao “boom” tecnológico (sistemas operacionais como o Windows e redes de computadores), que trouxe oportunidades de organizar os processos de uma nova forma.

 Já nos anos 80, o termo “workflow”, em português “fluxo de trabalho”, passa a ser usado para descrever softwares de automação de processos empresariais internos através da digitalização do trabalho. O termo evoluiu tanto que hoje alguns conceitos e tecnologias já estão presentes no nosso dia a dia, como é o caso do RPA, Process Mining, entre outros.

A segunda onda do BPM também é fortemente caracterizada pelo movimento do BPR (Business Process Reengineering – Reengenharia de Processos de Negócio). O livro “Reenginering the Corporation” é publicado por Michael Hammer e James Champy, sendo um movimento baseado no repensar radical dos processos.

Terceira onda do BPM

Com a chegada dos anos 2000, as coisas começaram a mudar para melhor. As pessoas começaram a perceber que a orientação aos processos fazia sentido e era mais produtiva. Além disso, chegam tecnologias mais avançadas como os sistemas ERPs (Enterprise Resource Planning).

A terceira onda do BPM foca na transformação contínua. Esta fase das origens do BPM também é marcado pelo surgimento da notação de modelagem de processos BPMN (Business Process Model and Notation).

Nesta terceira onda também é criada a ABPMP (Associação dos Profissionais Especializados em Gestão de Processos de Negócio). A chegada de novas técnicas, como o BPM Ágil, também é um destaque importante deste período.

Conclusão

O uso do BPM ao longo das últimas décadas vem crescendo exponencialmente devido à rapidez com que melhora os processos nas empresas onde já foi implementado. Entender a evolução do BPM junto com a tecnologia é fundamental para a otimização dos resultados das organizações por meio da melhoria dos processos de negócio.

Devido ao crescimento acelerado da área de BPM, muitos profissionais de processos têm buscado desenvolver técnicas de BPM para ser um profissional em destaque no mercado. Aqui na dheka temos diversos cursos que permitem o desenvolvimento destas habilidades com foco nos processos empresariais. Conheça:

Referências Bibliográficas

DUMAS, M., et al. 2013. Fundamentals of Business Process Management. New York: Springer.

HAMMER, M.; CHAMPY, J. 2009. Reengineering the Corporation. HarperCollins.

LECOM. Trajetória do BPM.

SMITH, H.; FINGAR, P. 2003. Business Process Management: The Third Wave. Tampa: Meghan Kiffer Pr.

Compartilhe:
gostei deste conteúdo
quero mais informações
X

nossas soluções

Assine nossa newsletter